Microrganismos em Fertilizantes e Afins

A utilização de microrganismos visando controle biológico já é bastante utilizada no Brasil e é
um segmento que cresce significativamente ano após ano.
No segmento de Fertilizantes e Afins algumas formas de utilização de microrganismos
começaram a serem permitidas pelo MAPA recentemente.


Em fevereiro de 2021 o MAPA publicou no seu site uma Atualização das listas de Aditivos
autorizados para Fertilizantes Minerais (Anexo III) e Fertilizantes Orgânicos (Anexo II). Nesta
atualização foram incluídos os Aditivos Biológicos, compostos por:

  • Microrganismos
  • Indutores de Atividade microbiana
  • Compostos orgânicos
  • Metabólitos de plantas e de microrganismos


Sua função é atribuir ganhos de qualidade biológica aos fertilizantes. Não às plantas (que seria
função dos Inoculantes) e nem ao Solo (que seria função dos Condicionadores Biológicos de
Solo). Para tanto é necessário apresentar comprovação técnica fundamentada que é analisada pela
área técnica do MAPA caso a caso. Registra-se o Fertilizante adicionado do Aditivo em
questão. Devido ao aumento de preços dos fertilizantes, tem havido um aumento no número de
registros de Inoculantes Promotores de Crescimento com funções como a solubilização de
Fósforo do solo, função de fixação de Nitrogênio e de promoção de crescimento. Muitos deles utilizando os mesmos microrganismos utilizados no controle de pragas, como por
exemplo Bacillus subtilis e Trichoderma, mas logicamente com funções diferentes.

Por último, existe a possibilidade de registro de Condicionadores Biológicos de Solo à base de
microrganismos, quando a ação do microrganismo é no solo. Esta forma de registro é menos
utilizada. A Instrução Normativa que trata deste assunto (I.N. 35 de 2006) cita que estes produtos oferecem uma melhoria das atividades biológicas do solo, porém não dá indicações claras dos parâmetros que podem ser utilizados para tais comprovações técnicas.

Categorias

Nuvem de Tags